Como um hidromel que ainda não atingiu o mercado explodiu em popularidade

Como um hidromel que ainda não atingiu o mercado explodiu em popularidade

Como um hidromel que ainda não atingiu o mercado explodiu em popularidade: O Boneflower Mead, localizado no noroeste de Indiana, tem uma classificação de 4,7 dos 5 possíveis no Untappd. Um aplicativo de rede social para aficionados por cerveja que lhes permite avaliar o que estão bebendo. A classificação é impressionante para uma hidromelaria incipiente – mas o mesmo acontece com o Boneflower, que ainda não vendeu uma única garrafa de hidromel, com mais de 150 avaliações.

Aaron Schavey, que fundou a empresa com Geoff Resney, um amigo e ex-colega no setor de testes de poluição do ar, fabrica o hidromel há cerca de dois anos e o distribui por quase o mesmo tempo.

O início

Depois de ser apresentado ao que ele chama de “o primeiro hidromel que realmente me impressionou” há alguns anos, ele começou a procurar por hidromeis de qualidade para comprar e, encontrando opções limitadas, decidiu criar o seu próprio. Para obter orientação, comprou um livro de Ken Schramm sobre fabricação de hidromel, cuja manufatura homônima de Michigan havia feito a primeira bebida fermentada de mel que impressionou Schavey, um hidromel de amora chamado Madeline. Fóruns on-line para fabricantes de hidromel e conversas com os proprietários de hidromelarias também o ajudaram a aprender.

A produção era limitada a lotes de cinco galões que Schavey produzia em seu porão, mas isso não o impediu de obter o máximo de hidromel possível no mundo. Ele foi a festivais de cerveja artesanal para provar amostras e começou um grupo no Facebook, onde fazia brindes e sorteios de garrafas, onde os lucros eram destinados à caridade.

Foco na qualidade

“Minha intenção desde o primeiro dia em fornecer as amostras era obter um feedback honesto”, diz Schavey.

Ele e Resney já haviam registrado a Boneflower como uma LLC, mas ainda não haviam decidido se realmente deveriam solicitar o licenciamento e iniciar uma empresa. Se o fizessem, queriam saber que tipo de hidromel as pessoas gostavam de beber.

Enquanto isso, eles faziam hidromel no estilo daquele primeiro hidromel de Schramm pelo qual Schavey se apaixonou; estes são os hidromeis pela qual a Boneflower ficou conhecida. Schavey os descreve como “um hidromel frutado e pesado – muitas frutas, maior gravidade, são um pouco mais espessas, definitivamente doces”. Esse estilo, diz ele, é o motivo pelo qual derramar amostras em festivais de cerveja fazia mais sentido do que ir a festivais de vinho.

Diferenciação

Enquanto o processo de produção de hidromel é semelhante à vinificação (o vinho é fermentado a partir de uvas, enquanto o hidromel é fermentado a partir de mel, às vezes com frutas adicionadas), os hidromeis doces e com alto teor alcoólico de Boneflower não têm gosto muito semelhante ao vinho. Eles têm mais em comum com cervejas como a stout imperial ou uma barley wine, que costumam ser xaroposos e tóxicos. “Acho que foi por isso que pegou, porque [os bebedores de cerveja artesanal] estavam perseguindo um álcool muito alto, uma bebida doce e espessa como sobremesa, e [nosso] hidromel é desse estilo”, diz Schavey.

E os bebedores de cerveja artesanal adotaram o Boneflower com entusiasmo. “Isso realmente começou a decolar; as pessoas me procuravam sem parar pedindo hidromel ”, diz Schavey. “Eu provavelmente estava recebendo entre 10 e 20 mensagens por dia de completos estranhos. ”

Hora de profissionalizar

Esse entusiasmo ajudou a convencer Schavey e Resney de que esse era um conceito que vale a pena seguir, e em março eles solicitaram suas licenças federais e estaduais. Nesse mesmo mês, Boneflower entrou na Mazer Cup International Mead Competition, a maior competição de hidromel do mundo, onde o hidromel Cherry Apple Inception conquistou o segundo lugar em sua categoria (hidromel de frutas mistas). Alguns meses depois, eles obtiveram suas licenças – uma pausa feliz, pois o processo pode levar um ano ou mais.

Mas eles precisavam comprar equipamentos e ingredientes para produzir hidromel em maior escala. Schavey estabeleceu uma meta ambiciosa de US $ 100.000 para uma campanha de crowdfunding da Boneflower.

Captando recursos

As recompensas pelos níveis mais baixos de doações (US $ 5 a US $ 55) variavam de um agradecimento nas mídias sociais até os ganhos usuais: camisetas, saca-rolhas, adesivos. No entanto, US $ 250 garantem uma “associação padrão”: algumas garrafas de hidromel e o direito de saber os primeiros detalhes sobre lançamentos futuros dos hidromeis da Boneflower por dois anos. US $ 475 é o mesmo negócio, mas você recebe o dobro da quantia de patrocinadores regulares, e o nível de US $ 750, conhecido como “clube do conselheiro”, é uma associação padrão que também inclui garrafas de hidromel experimental, nas quais os membros podem fornecer feedback. Apenas quatro colaboradores têm a oportunidade de criar seu “hidromel dos sonhos” por US $ 5.000 (todos os níveis de prêmios de associação são limitados em quantidade).

Recorde de captação

A campanha do Indiegogo foi lançada em 17 de maio e em 13 horas havia superado sua meta, vendendo todas as recompensas em nível de associação e ultrapassando US $ 109.000. Os apoiadores da Boneflower não parecem particularmente interessados ​​em ganhos; embora todas as 270 associações tenham sido reivindicadas no primeiro dia, apenas seis pessoas contribuíram com US $ 55 ou menos.

“Eu não tinha ideia de que iríamos simplesmente estourar”, diz Schavey. “Dar o máximo de hidromel que pude nos estágios iniciais é realmente o que despertou o interesse das pessoas. Demos milhares e milhares de dólares em hidromel apenas para obter feedback. ” No processo, como se viu, ele também construiu seguidores leais.

Em seguida, Schavey e Resney estarão comprando equipamentos maiores para suas produções, juntamente com milhares de quilos de mel (a maior parte do que eles usam até agora vem de Michigan).

Mais sabores

Juntamente com o Cherry Apple Inception, eles fazem um creme brulee de framboesa com mel caramelizado; Slow Heavy Jam, que é feito a partir de uvas Concord; e um hidromel de amora e groselha chamado Black Number One. Eles estão animados para começar a trabalhar em alguns estilos mais secos, diz Schavey. Ele quer envelhecer um pouco e criar um hidromel sazonal, como um estilo frutado, leve e com gás para o verão. No centro-oeste, Schavey diz, são principalmente os fãs de cerveja artesanal que estão gravitando em direção ao hidromel, mas em outras partes do país onde estilos mais secos de hidromel são mais comuns, é popular entre os bebedores de vinho – e ele também quer atrair bebedores de vinho. “Nosso objetivo final”, diz ele, “é fazer hidromel para todos. ”

Autor: Julia Thiel

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://www.chicagoreader.com/Bleader/archives/2018/06/12/how-a-mead-that-hasnt-yet-hit-the-market-exploded-in-popularity

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *